Anatomia   Anatomia do Plexo Braquial
  Anatomia Microscópica


Anatomia do Plexo Braquial

 


Raízes do nervo espinhal que se unem com o plexo braquial

O plexo braquial consiste de uma rede de nervos, começando com as cinco raízes nervosas na parte superior da espinha e terminando com os cinco nervos principais que controlam o movimento do braço e as suas sensações. Ele se localiza perto da junção do pescoço com o ombro, atrás da clavícula, e entre a espinha e o braço, imediatamente distal (distante do corpo) à axila.

Divisão anatômica do plexo braquial

Os nervos [que saem] da espinha se juntam e se dividem num padrão formando cinco seções do plexo braquial: raizes, troncos, divisões, cordões e nervos. Os ramos anteriores se unem, formando os troncos superior (C5 e C6), médio (C7) e inferior (C8 e T1). Cada tronco se separa, atrás da clavícula, em divisões anterior e posterior. Estes se unem formando três cordões:o lateral, o medial e o posterior, que recebem cada qual a sua denominação de acordo com a posição que ocupa em relação à artéria axilar.

Esses três cordões, então, se dividem, e tornam a se combinar para formar os principais nervos do braço. O cordão posterior se divide em nervos axilar e radial. O cordão medial se divide em nervo ulnar e um ramal do nervo mediano. O cordão lateral divide-se em nervo musculocutâneo e um ramal do nervo mediano.

Anatomia Microscópica


Anatomia microscópica do 
plexo braquial

Esta figura ilustra a complexa via nervosa dentro do [no] plexo braquial. Muitos nervos pequenos se ramificam do plexo braquial. Como resultado, cada um dos nervos principais do braço recebe o input de múltiplos níveis espinhais, com cada raiz espinhal inervando múltiplos nervos. Deste modo, a perda de uma porção da fibra nervosa em um certo nível, pode ser compensada por fibras nervosas de outro nível. Entretanto, uma cirurgia reparadora não pode restaurar a anatomia normal do nervo, por causa da complexidade das vias nervosas no plexo braquial.